Olá!

Estamos de volta à nossa série que analisa o Programa Detalhado da Prova de CPA-10 da ANBIMA!

Começaremos a análise deste Grande Tema do Programa Detalhado da Prova de CPA-10 Princípios de Investimento falando sobre o título dele: “Princípios”, ou seja, nada muito aprofundado. São conceitos básicos sobre Investimento necessários para começar a ofertar produtos de investimento. Sem conhecimento sobre eles, você pode ter problemas ao ofertar um produto a um cliente ou no pós-venda. Já conhece a história dos fundos PIBB e Dividendos? Eu falei dela aqui , mas vou resumí-la: presenciei um gerente dizer a um cliente que a diferença entre fundos PIBB e fundos Dividendos é que esse paga dividendos e aquele, não. E pronto. Só isso e alguns embromations. Não seja esse gerente! Conhecer o que se está vendendo é o PRINCÍPIO BÁSICO de qualquer vendedor! Já pensou ir comprar um carro e o vendedor não ter ideia de qual é a potência do motor ou se os freios são ABS? Ou pior ainda! Você compraria um carro com um vendedor que diz que a diferença entre freios ABS e freio a disco é que o freio ABS é ABS e o freio a disco não? Exatamente. Ninguém confia em quem não conhece o próprio produto! Portanto, não custa repetir: não seja essa pessoa! Estude com atenção cada um dos pontos que a ANBIMA exige sobre Princípios de Investimento!

Infográfico sobre o grande tema Princípios de Investimento da prova de CPA-10

O conteúdo deste Grande Tema está dividido em 2 partes: Conceitos Básicos de Economia e Princípios Básicos de Finanças e tem participação na prova de 5 a 10%, ou seja, até 5 questões das 50, serão sobre este Grande Tema. A maioria dos assuntos abordados no Programa Detalhado da prova de CPA-10 são conceitos presentes no nosso dia-a-dia, além de conceitos básicos de matemática financeira. Além disso, alguns conceitos relacionados a produtos específicos, que são abordados em outros Grandes Temas, podem complicar um pouco o entendimento geral, por isso, consideramos este Grande Tema de nível de dificuldade médio. Recomendamos 3 horas de estudo, mas você pode verificar qual seria seu aproveitamento no nosso simulado e adequar o tempo de dedicação às suas necessidades.

Conceitos Básicos de Economia

Os Conceitos Básicos de Economia que são cobrados na prova de CPA-10 são os indicadores financeiros e as atribuições do COPOM!

  • PIB (Produto Interno Bruto);
  • Índices de Inflação (IPCA e IGP-M);
  • Taxa de câmbio;
  • Taxa SELIC (over e meta);
  • Taxa DI; e
  • TR
Fotografia de uma reunião em que um homem aponta para diversos gráficos, em referência aos princípios econômicos presentes no Programa Detalhado da prova de CPA-10 da ANBIMA

Os princípios de economia que você tem que saber para a prova estão presentes no nosso dia-a-dia!

A ANBIMA cobra na prova os conceitos mais básicos da Economia Brasileira. Você precisa saber o que é e como é calculado o PIB (calculado a partir das receitas geradas por todos os setores econômicos, descontadas as importações e exportações) inclusive sobre a Ótica das Despesas e sua implicação na política econômica adotada pelo CMN. Você também deve saber como são formados os dois principais indicadores de inflação do País, o IPCA e o IGP-M, quem é responsável e com qual frequência são apurados, além de distingui-los e relacioná-los com seus usos. Também é importante saber o que é a Taxa SELIC e diferenciar a taxa ideal para o desenvolvimento econômico do país, definida pelo COPOM, a SELIC Meta, da taxa formada nas operações de empréstimo interbancário que têm como garantia (lastro) títulos públicos federais, a SELIC Over. Da mesma forma, é necessário saber como são formadas e qual é o uso das Taxa DI (formada nas operações do mercado interbancário, lastreadas em Cédulas Interbancárias) e da Taxa Referencial (utilizada para correção da poupança e do FGTS e para a tarifação de contratos habitacionais. Todos os conceitos são bastante simples e, ao mesmo tempo, fundamentais para que o cliente seja atendido com qualidade!

Sobre o COPOM – sigla para Comitê de Política Monetária, formado pelo Presidente e 8 diretores do Banco Central do Brasil, que se reúnem a cada 6 semanas para discutir os principais indicadores econômicos, direcionar a política monetária e definir a Taxa SELIC Meta. Além disso, o COPOM divulga Relatórios sobre a Inflação. Além de basear as políticas atuais, as decisões do Comitê e as respectivas atas servem como subsídio para os analistas de mercado definirem expectativas de como os juros irão se comportar no futuro e isso é super importante para compreender o risco de mercado de produtos de renda fixa pré-fixados, além de ser um parâmetro para a rentabilidade prevista dos produtos de renda fixa pós-fixados!

Pronto! Quanto aos conceitos de economia, é isso que você precisa saber para a prova! Fácil, né?

Conceitos Básicos de Finanças

Mais uma vez, a ANBIMA não exige nada muito complexo dos candidatos. Neste Grande Tema do Programa Detalhado da prova de CPA-10, os conceitos necessários para a prova são os mais básicos da matemática financeira. O que pode tornar um pouco mais complicado, são os conceitos relacionados diretamente com o mercado financeiro, como benchmark, volatilidade, prazo médio e marcação a mercado.

Um homem em uma escada escrevendo com giz símbolos financeiros em um quadro negro

Atenção aos conceitos que fazem parte do nosso dia-a-dia!

Taxa de juros nominal e taxa de juros real: acho que não é segredo para ninguém que a inflação corrói o poder de compra do dinheiro. E isso vale para os recursos que estão investidos em uma aplicação financeira. A rentabilidade de um produto, geralmente é divulgada levando-se em consideração a taxa de juros nominal, mas desconsiderando a inflação acumulada no período de investimento. Por exemplo, se um investimento rendeu 10% em um ano, mas a inflação acumulada no período do investimento foi de 12,97%, não houve rentabilidade – pelo contrário, o investidor perdeu poder de compra dos recursos que estavam investidos. Por este motivo, é importante conhecer a taxa real  de um investimento, ou seja, qual foi a taxa de remuneração da aplicação, descontada a inflação!

Taxa de Juros Equivalente versus Taxa de Juros Proporcional: este tópico tem tudo a ver com o próximo tópico – as taxas de juros são equivalentes quando você calcula a taxa de um período para um sistema de capitalização composto e a taxa de juros proporcional diz respeito ao cálculo da taxa de um período diferente do período dado para um sistema de capitalização composto!

Capitalização simples versus capitalização composta: olha a dica enorme que a ANBIMA deu – por serem relacionados, este tópico e o anterior são colocados como um conceito versus o outro conceito! Sentiu como as dicas às vezes estão nas coisas mais simples? No sistema de capitalização simples, os juros incidem somente sobre o valor da aplicação inicial, ou “principal”, enquanto no sistema de capitalização composta os juros incidem sobre o principal e sobre os juros, gerando a “juros sobre juros” que podem potencializar os ganhos do investidor. E é exatamente por isso que o cálculo das taxas de juros para períodos diferentes seguem padrões diferentes, de acordo com o sistema de capitalização!

Índice de Referência ou benchmark: se uma pessoa falar para você que ela quer aplicar o seu dinheiro em uma aplicação que rende 12%, você aceitaria? Eu espero que não! Pelo menos, não até fazer algumas perguntas necessárias como, qual é o período de investimento que gera essa remuneração (12% ao ano é bom, 12% em 30 anos não parece ser, se for 12% ao mês, é bom desconfiar!) e qual é o risco (algo extremamente importante, não é?) são fundamentais. Mas você também não acha importante saber qual é a remuneração que outros investimentos, com prazo e risco semelhantes, estão pagando? Sim, estabelecer um parâmetro de comparação é muito importante para analisar um investimento. Além disso, o tal parâmetro deve ser coerente com o objeto de comparação – seria muito estranho se eu considerasse que pagar R$ 2,00 em 10 maçãs é muito caro porque a dúzia de bananas custa R$ 1,50! Comparamos bananas com bananas, maçãs com maçãs e laranjas com laranjas. O benchmark nada mais é que o parâmetro de comparação para a rentabilidade de um investimento e deve ser adequado a ele quanto às suas características, seu prazo e seu risco. Um excelente benchmark para um carteira de ações pode ser o Ibovespa (Índice BOVESPA, enquanto o melhor benchmark para um ativo de renda fixa pós-fixado pode ser a Taxa DI. Conhecer o conceito e as relações entre os benchmarks e os investimentos é o que você precisa para acertar as questões na prova de CPA-10!

Fotografia de um homem olhando a tela de um computador em que aparecem dois gráficos - de linha e de barras

Conceitos específicos do mercado financeiro requerem mais dedicação!

Volatilidade: uma excelente medida de quanto o valor de um ativo financeiro varia com o tempo, ou seja, de qual é o seu risco de mercado. De acordo com a teoria financeira, quanto maior o risco, maior tende a ser o retorno, porém, infelizmente, o inverso também é verdadeira. Desta forma, é importante verificar a Volatilidade de um investimento, ou seja, quanto o valor dele varia com o tempo. Quanto maior a volatilidade, maior o risco de mercado. Muitos investidores se baseiam integralmente na rentabilidade de um produto para decidir investir nele, ignorando os riscos envolvidos. Conhecer a volatilidade de um investimento é uma ótima forma de evitar isso e ainda ser aprovado na prova de CPA-10 🙂

Prazo médio ponderado de uma carteira de ativos: quando um investidor decide iniciar uma “poupança” de investimentos, o ideal é montar uma carteira de ativos, que balanceie os níveis de risco e, consequentemente, de rentabilidade, conforme a necessidade/disposição do cliente. Por este motivo, na carteira, podem haver diferentes ativos, com diferentes prazos de vencimento. Nos fundos de investimento, objeto de nossa análise no próximo post desta Série, o cálculo do prazo médio da carteira define quais ativos podem ser adquiridos de acordo com o regime tributário do fundo, por exemplo. Para os investidores, é sempre importante saber que quanto maior é o prazo de uma carteira, maior tende a ser sua rentabilidade e… (vamos fazer coro juntos!) maior é o risco. Consegue perceber o raciocínio? Se você tem interesse em comprar um ativo que tem um prazo de 30 anos, com certeza, exigirá receber mais, pois o risco de o ativo não ser honrado é muito maior daqui 30 anos que daqui 6 meses, não é verdade? É isto o que você precisa lembrar para a prova CPA-10!

Marcação a Mercado: o conceito de marcação a mercado está diretamente ligado aos fundos de investimento, que como dissemos neste texto mesmo, adquirem diversos ativos com diversos prazos de vencimento e, também, diferentes taxas de remuneração! Por este motivo, todos os dias, é necessário que o custodiante dos ativos calcule quanto vale cada um dos ativos da carteira, chegando a um valor de patrimônio líquido e de rentabilidade, que é aplicada a todos os investidores, proporcionalmente ao número de cotas detidas (trataremos mais sobre este assunto no artigo que analisa o Grande Tema Fundos de Investimento do programa detalhado da prova de CPA-10 da ANBIMA!). Desta forma, garante-se que não haja transferência de riqueza entre os cotistas! É isso o que é cobrado na prova de CPA-10!

Mercado Primário e Mercado Secundário: você sabe como nascem os ativos financeiros? Bom, depende… Mas todos eles representam uma relação de investimento entre o cliente que decidi colocar seus recursos no negócio (investidor) e da empresa que emite o ativo. O tal do ativo pode representar uma fração de uma empresa, se for uma ação, ou uma promessa de pagamento de uma dívida, se for um título público ou uma debênture, por exemplo. De qualquer forma, quando uma empresa abre ou aumenta o capital, vendendo ações, ela o faz por um IPO (sobre o qual falaremos mais no artigo que analisa o Grande Tema Instrumentos de Renda Variável do Programa Detalhado da prova de CPA-10). Da mesma forma, uma oferta pública de debêntures, também é realizada inicialmente no mercado primário, do qual participam investidores institucionais e instituições financeiras, no geral. Já o mercado secundário, é o mercado em que os títulos são revendidos aos investidores comuns. Para a prova de CPA-10, é importante lembrar dessa diferença e de que o mercado secundário garante a liquidez do mercado financeiro!

Viu só? Se excluirmos os últimos conceitos, os demais não são muito complicados! Se você perdeu os outros dois artigos desta Série que já publicamos, você pode lê-los aqui e aqui!

No próximo artigo, inverteremos a ordem do programa detalhado da prova de CPA-10 e iremos analisar o grande tema Instrumentos de Renda Variável e de Renda Fixa!

Até já!

Thaís Felix

Thaís Felix

Professora e Fundadora da Escola Prospera em Escola Prospera
Sou licenciadapela USP, pós-graduada em Mercados Financeiros pelo Mackenzie e atualmente curso Especialização em Gestão Empreendedora no SENAC. Atuei durante 12 anos no Mercado Financeiro, em uma das 4 maiores administradoras de fundos de investimento do Brasil.
Thaís Felix